Resenha do Livro O Menino do Pijama Listrado!!!!!!!!




Bom dia!!!
Hoje farei uma coisa totalmente inusitada: uma proposta a vocês!!!
Eu proponho a todos lerem esse livro no escuro, sem pegar nenhuma sinopse, sem ler nenhuma resenha, sem perguntar aos amigos, que já o leram, sobre o que ele se trata. Não busquem esse livro nos sites de compra. Não façam nada, apenas se entreguem a leitura.
Confiem em mim, vocês não irão se arrepender!!!
Por isso, pela primeira vez, não farei uma resenha contando a história. Direi apenas as minhas impressões e justificarei a minha proposta.


Livro: O Menino do Pijama Listrado
Autor: John Boyne
Editora: Companhia da Letras
Páginas: 186

Por diversas vezes escutei esse nome sendo indicado: “O Menino do Pijama Listrado”. Mas não conhecia a história, realmente não sabia o que me esperava.
E então, ele apareceu em minhas mãos, carinhosamente emprestado. Eu só sabia isso: era muito bom, mas muito triste.
Peguei o livro e fui buscar na contracapa, a sinopse, para me familiarizar com seu tema. Para minha surpresa, não encontrei. Só há comentários:

“Um livro maravilhoso” (The Guardian)
“Intenso e perturbador (...), pode se tornar uma introdução tão memorável ao tema como o Diário de Anne Frank foi em sua época.” (USA Today)
“Um livro tão simples e tão bem escrito que beira a perfeição.” (The Irish independent)
Mais de 350 mil livros vendidos em todo mundo.

Ser comparado ao Diário de Anne Frank foi demais para mim, eu precisava ler. Então busquei as orelhas do livro: e novamente uma surpresa:

“É muito difícil descrever a história do Menino do Pijama Listrado. Normalmente, o texto de orelha traz alguma dica sobre o livro, alguma informação, mas nesse caso acreditamos que isso poderia prejudicar sua leitura, e talvez seja melhor realizá-la sem que você saiba nada sobre a trama.
Caso você comece a lê-lo, embarcará em uma jornada ao lado de um garoto de nove anos chamado Bruno (embora esse livro não seja recomendado a garotos de nove anos). E cedo ou tarde chegará com Bruno a uma cerca.
Cercas como essa existem no mundo todo. Esperamos que você nunca se depare com uma delas.”

Então, foi o que fiz: eu abri o livro e mergulhei em suas páginas na total ignorância. Foi a melhor experiência que já tive ao ler um livro, algo totalmente novo. E acreditem, faz toda a diferença!!!!!!

Por isso, pela primeira vez, decidi que não vou contar nada do livro para vocês. Por isso que também não coloquei a sinopse que ao concluir a leitura, encontrei na Saraiva.
Tudo o que falaram é verdade e ainda assim muito pouco. É um livro maravilhoso, é um livro intenso, é um livro perturbador, é um livro simples, não na essência, e sim na forma de escrever. Eu li em apenas cinco horas, é impossível largar.
Bruno não sabe nada do que está acontecendo durante todo o livro, então, você vai descobrindo com ele. Por isso devemos ler sem saber nada. Essa é a ideia.
Não posso falar mais nada sem que comprometa o impacto que esse livro vai lhe causar. 

DEVASTADOR!!!!!
É isso. Bruno vai tocar tão fundo em seu coração que será difícil se refazer depois de conhecê-lo.






O CANTINHO PARA LEITURA DESCOBRE: JOHN BOYNE  




Nasceu na Irlanda, em 1971, e mora em Dublin. Escreveu outros seis romances e foi traduzido para mais de quarenta idiomas. Seu livro mais célebre, O menino do pijama listrado (2007) lhe rendeu dois Irish Book Awards, vendeu mais de 5 milhões de exemplares pelo mundo e foi adaptado para o cinema em 2008.

Seus Livros:
Além do livro “O Menino de Pijama Listrado”, o autor escreveu mais cinco obras, confiram:

Noah Foge de Casa:



Em seu primeiro livro infanto-juvenil desde o enorme sucesso de “O menino do pijama listrado”, John Boyne deixa a fábula histórica e o ambiente dos campos de concentração da Segunda Guerra Mundial e mergulha em um mundo em que cachorros e burros falam, portas andam e laranjas se espremem sozinhas. Noah tem oito anos e acha que a maneira mais fácil de lidar com seus problemas e não pensar neles. Quando se vê cara a cara com uma situação muito maior do que ele próprio, o menino simplesmente foge de casa, aventurando-se sozinho pela floresta desconhecida. Logo, Noah chega a uma loja mágica de brinquedos, com um dono bastante peculiar. Ele tem uma história para contar, uma história cheia de aventuras que termina com uma promessa quebrada, uma história que vai levar o fabricante de brinquedos a pensar sobre o seu passado e Noah a pensar sobre aquilo que deixou para trás.


O Garoto no Convés:

 
Em abril de 1789, semanas após concluir no Taiti uma curiosa missão com fins botânicos - coletar mudas de fruta-pão para alimentar os escravos nas colônias inglesas -, o navio de guerra britânico HMS Bounty foi palco de uma revolta de parte da tripulação contra o capitão William Bligh, que acabou deixado à própria sorte em um bote em alto-mar junto com os marinheiros ainda fiéis a seu comando. Sem provisões e instrumentos de navegação adequados, o grupo enfrentou 48 dias de duras provações até alcançar a costa do Timor. O episódio inspirou numerosos livros e filmes. Neste livro, a história da expedição é narrada do ponto de vista de John Jacob Turnstile, um garoto de Porstmouth, sul da Inglaterra, que sofre abusos de toda sorte, inclusive sexuais, no orfanato e pratica pequenos furtos nas ruas da cidade. Detido pela polícia após roubar um relógio, é salvo pela própria vítima do roubo quando esta lhe faz uma proposta: em vez de ficar encarcerado, embarcaria no HMS Bounty para passar pelo menos dezoito meses como criado particular do respeitado capitão Bligh. Turnstile aceita a barganha, planejando fugir na primeira oportunidade. Mas a rígida disciplina da vida no mar e uma relação cada vez mais leal com o capitão transformarão sua vida para sempre. É pela voz desse adolescente insolente e sagaz, mas ao mesmo tempo frágil e ingênuo, que o leitor acompanhará uma viagem repleta de intrigas, tempestades instransponíveis, cenários exóticos e lições de lealdade, paixão e sobrevivência. O autor acrescenta novos dados e interpretações a uma história até hoje misteriosa. Sugere, por exemplo, que a receptividade sexual das nativas do Taiti pode estar na origem da insatisfação que resultou no motim. Seduzidos - ou, no caso de Turnstile, iniciados - por elas, os marujos teriam considerado intolerável a idéia de retornar para casa, o que os colocou em linha de colisão com o capitão. Numa prosa instigante e bem-humorada, que torna esse um romance difícil de largar, John Boyne confirma as qualidades que fizeram de O menino do pijama listrado um sucesso no mundo inteiro.


A Coisa Terrível Que Aconteceu Com Barnaby Brocket:


 
A família Brocket tinha muito orgulho de ser perfeitamente normal. Alistair, Eleanor e seus dois filhos moravam numa casa normal, num bairro normal, onde faziam coisas normais, sempre evitando que algo fora do comum pudesse acontecer. E assim levavam uma vida pacata e sem sobressaltos - até o dia em que Barnaby Brocket veio ao mundo. Bastou o caçula nascer para todos perceberem que ele era um pouco diferente: logo que se separou do corpo da mãe, o bebê foi parar no teto do hospital. Ele flutuava! E aquela incapacidade de ficar com os pés no chão, que no começo parecia apenas uma esquisitice de criança, com o tempo se transformou num verdadeiro problema para seus parentes. Afinal, como seria a reação dos vizinhos quando descobrissem essa peculiaridade do filho mais novo dos Brocket? Barnaby virou motivo de vergonha. E depois de longos oito anos, quando o caso parecia não ter mais solução, Alistair e Eleanor decidem dar um ponto final nesse sofrimento. O garoto é abandonado à sua própria sorte e começa a flutuar sem destino. Mas, assustado e surpreso com o que tinha acabado de acontecer, Barnaby mal sabia que esse era apenas o começo de uma viagem pelo mundo, em que conheceria lugares impressionantes e pessoas muito especiais - que, como ele, não eram tão normais assim.


Palácio de Inverno:
 

  


Na primeira vez em que alterou o curso da história, em 1915, o então jovem camponês russo Geórgui Jachmenev conseguiu impedir um atentado à vida do grão-duque Nicolau Nicolaievitch, irmão do czar. Esse involuntário ato de bravura acaba por assegurar a Geórgui um lugar de honra na corte de Nicolau II, que o nomeia guarda-costas pessoal do seu filho, o também adolescente Alexei Romanov. Em 1981, agora cidadão britânico e funcionário aposentado da biblioteca do Museu Britânico, o octogenário Jachmenev, enquanto vela pela saúde da esposa Zoia, que vive os últimos estágios de um câncer devastador, deixa a memória flutuar, recordando aleatoriamente os fatos de sua vida, grande parte deles ligados diretamente a eventos históricos que transformaram o séc XX. Rasputin, Winston Churchill, um amigo de Charles Chaplin, o último czar russo e outros personagens históricos de vulto misturam-se às pessoas comuns do imaginário de Jachmenev, à medida em que sua memória vai aproximando os dois momentos mais importantes de sua trajetória, aquele que conquistou o amor de sua vida e aquele em que está prestes a perdê-lo de forma definitiva.


O Pacifista:
 

  


Na Inglaterra, setembro de 1919. Tristan Sadler, vinte e um anos, toma o trem de Londres a Norwich para entregar algumas cartas à irmã mais velha de William Bancroft, soldado com quem combateu na Grande Guerra.
As cartas, porém, não são o verdadeiro motivo da viagem de Tristan. Ele já não suporta o peso de um segredo que carrega no fundo de sua alma, e está desesperado para se livrar desse fardo, revelando tudo a Marian Bancroft. Resta saber se o antigo combatente terá coragem para tanto.
Enquanto reconta os detalhes sombrios de uma guerra que para ele perdeu o sentido, Tristan fala também de sua amizade com Will, desde o campo de treinamento em Aldershot, onde se encontraram pela primeira vez, até o período que passaram juntos nas trincheiras do norte da França. O leitor testemunha o relato de uma relação intensa e complicada, que proporcionou alegrias e descobertas, mas também foi motivo de muita dor e desespero.
O pacifista é uma história de amor e de guerra que se insere na tradição do romance Reparação, de Ian McEwan. Nada é o que parece nesta trama envolvente e vigorosa, que revela as consequências de uma vida tragicamente marcada pelo silêncio. Com uma abordagem original e relevante para o nosso tempo, o autor do best-seller internacional O menino do pijama listrado revisita neste romance o universo da guerra, tendo dessa vez como pano de fundo a Primeira Guerra Mundial. Sensível e engenhoso, John Boyne esmiúça um dos capítulos mais traumáticos da história da humanidade pela perspectiva de dois jovens soldados que lutam, acima de tudo, contra a complexidade de suas emoções.

Contato:

Para saber mais sobre o autor:
http://www.companhiadasletras.com.br/autor.php?codigo=02477
http://pt.wikipedia.org/wiki/John_Boyne
 






27 comentários

  1. Oi Cila!

    Li dois livros do autor, O Garoto no Convés e Palácio de Inverno, e me apaixonei por sua escrita. Comprei recentemente este que resenhou e como estou fugindo de fortes emoções no momento ele está aqui esperando por um ocasião especial. Imagino que seu impacto seja esse mesmo que descreveu. Adorei a resenha.

    Beijos

    http://poesiasprosasealgomais.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Fran,
      tudo bem?
      Também fiquei impressionada com a forma como ele escreve, quero muito ler os outros livros dele. Foi impactante mesmo, algo que deixa marcas, difíceis de serem apagadas.
      Beijos.
      Cila- Leitora Voraz

      Excluir
  2. Oi Pri, eu também tive a mesma sensação que você quando li o livro.
    É maravilhoso, impactante, simples e devastador. Isto para não falarmos as outras sensações que também temos durante a leitura. É uma bela obra.
    Já li também Noah Foge de Casa e adorei. John Boyne já estava presente na minha lista de leituras, recomendo.

    Beijos Pri, adorei a postagem. Não colocar resenha sobre O Menino do Pijama Listrado foi uma boa decisão. Fará com que os que não leram, tenham vontade de ler o quanto antes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Léo,
      Tudo bem?
      Eu queria realmente que mais pessoas tivessem a experiência que eu tive, pois a inocência é um fator determinante na história. Você que leu, sabe do que eu estou falando.
      obrigada pelo carinho de sempre.
      Beijos.
      Cila- leitora Voraz

      Excluir
  3. Hey
    Tenho vontade de ler esse livro, imagino que seja tocante, emotivo...
    E preciso de leituras rápidas, tipo 5 horas!

    Também me interessei por 'Noah Foge de Casa'!

    Ótima resenha.

    bjs
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nana,
      tudo bem?
      Seja bem vinda ao Cantinho!!!! Que bom que gostou, fico feliz em saber disso.
      Tenho certeza de que irá se emocionar com essa história. E realmente é rápido, você ficará tão envolvida e angustiada, que nem perceberá quando tiver terminado.
      Beijos.
      Cila- Leitora Voraz

      Excluir
  4. Sou apaixonada por esse livro!
    Chorei igual uma condenada huahauahuahauaha
    Beiijos,
    Paula
    http://www.interacaoliteraria.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Paula,
      tudo bem?
      Então você me entendi!!!!
      Beijinhos.
      Cila- Leitora Voraz

      Excluir
  5. Oi Cila!
    Eu também li esse livro no escuro, muitos anos antes de ser publicado no Brasil e cara, como eu chorei! aushauhsuahuahsuahsuahsua
    A história é incrível e desde A vida é bela eu não chorava tanto! kkk
    Sem contar que na minha opinião a adaptação cinematográfica desse livro é a melhor que eu já vi, de verdade, eu me senti lendo o livro outra vez, é a adaptação mais fiel de todos os tempos.

    Beijos ;*
    Mari Siqueira
    http://loveloversblog.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mariana,
      tudo bem?
      Eu nunca vi o filme, mas fiquei com muita vontade e ao mesmo tempo receosa, pois os sentimentos irão vir à tona novamente. Mas acho que uma obra como essa merece!!!
      beijinhos.
      Cila- Leitora Voraz

      Excluir
  6. Oie,
    nossa confesso que não li nenhum desses rsrsrs
    eles não fazem muito meu estilo de leitura, mas tenho curiosidade sobre o menino do pijama listrado. Quem sabe um dia?

    bjos

    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Vanessa,
      tudo bem?
      Se um dia der uma oportunidade, tenho certeza de que fará diferença no seu olhar sobre o mundo.
      beijinhos.
      Cila- Leitora Voraz

      Excluir
  7. Oi Cila!
    Ainda não tive muita vontade de ler este livro, já que tenho certas ressalvas por histórias que tratam sobre o Nazismo... Esse tema sempre me deixa um pouco incomodada! Mas já ouvi que O Menino do Pijama Listrado é muito bom, e, depois da sua resenha, até fiquei curiosa... talvez eu dê uma chance à história!
    Bjus,
    Paty Algayer - http://www.magicaliteraria.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Paty,
      tudo bem?
      Acho que a humanidade até hoje está em dívida com essa atrocidade.Realmente, é algo que nos faz mal, que incomoda.
      Se um dia der uma oportunidade, não irá se arrepender. Mas aviso: deixará marcas!!!
      beijinhos.
      Cila- Leitora Voraz

      Excluir
  8. Ai meu Deus, Cila, não faça isso com meu pobre coração. ahahhaa
    Infelizmente já sei toda a história, pois já vi o filme :( Mas quero ler ainda, muito em breve, e sua resenha foi incrível!!
    Beijos

    http://estantedasfadas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carol,
      tudo bem?
      Eu ainda não vi o filme, vou esperar mais um pouco, pois é difícil se recuperar depois.
      Obrigada pelo carinho!!!!
      beijinhos.
      Cila- Leitora Voraz

      Excluir
  9. Acredita que nunca li nenhum livro deste autor, muitos blogs e amigos meus já leram o menino do pijama listrado, ou assistiram o filme. Mas eu nunca tive vontade de fazer nenhuma das duas opções haha. Mas quem sabe no futuro né. Eu só conhecia este livro do autor, foi bom saber um pouco mais sobre ele. E sério que aquilo estava escrito na orelha do livro MPL? Uau. Estou passando pela primeira vez aqui no seu blog. E gostaria de convidar a vossa senhoria para ir lá no meu e conhecê-lo, além de pedir sua colaboração para curtir a página do meu livro que fica na lateral do blog. Passa lá, esperando a sua visita.
    Abraços,
    J. A. Santos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá,
      tudo bem?
      Seja bem vindo ao Cantinho!!!!!!!
      Com certeza irei passar por lá e prestigiar seu livro.
      beijos.
      Cila- Leitora Voraz

      Excluir
  10. Eu simplesmente AMO o John Boyne! Todos os livros que já li dele me conquistaram, me fizeram chorar e se tornaram meus favoritos. <3
    Ainda não li "O menino do pijama listrado", mas isso mudará em breve!

    Um beijo,
    Luara - Estante Vertical

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Luara,
      tudo bem?
      Eu confesso que não o conhecia antes e não me decepcionei!!! Acho que também mudarei algo em breve: tenho que ler os outros livros dele!!!
      Beijinhos.
      Cila- Leitora Voraz

      Excluir
  11. Oie linda, tudo bem?
    Passando para agradecer sua visitinha em meu blog e dizer que gostei da sua resenha, mas nunca tinha lido nada sobre esse livro. Pretendo dar uma pesquisada e quem sabe dar uma chance para leitura.
    Mas no momento estou dando um tempo, porque além de ficar comprando livro, estou ficando doida de enxer a prateleira e deixando de ler os que eu já comprei hahahaha....enfim...
    Se cuida minha linda

    lovereadmybooks.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Silvana,
      tudo bem?
      Entendo você perfeitamente!!! É assim mesmo, todo mês temos lançamentos em todas as editoras, eu fico com vontade de comprar quase todos, e no mês seguinte mais lançamentos....
      Mas tomara que um dia leia esse também, fará diferença.
      Obrigada pelo carinho.
      Beijinhos.
      Cila- Leitora Voraz

      Excluir
  12. Fiquei muito curiosa!!! Perturbador? Comparado a Anne Frank? Chamou minha atenção. Acho que vou fazer como você disse lê-lo sem saber nada do que me aguarda!

    beijos flor

    Você tem toda razão. Por ex. eu amava Crepúsculo quando saiu o filme com a atriz que fez a Bella quase cai pra trás, odiei tanto a atriz que deixei de gostar dos livros. Mas tem duas exceções E o Vento Levou e o Véu Pintado, juro que suas adaptações foram melhores que o livro.

    beijos

    http://livrorosashock.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. WOW, esse livro está na metade do preço por aqui. Acho que comprarei essa semana. Adorei a dica. Ele já consta entre os meus desejados há algum tempo, sem pressa, mas certamente também sem a devida valorização da sua proposta.
    Vendo que ele te envolveu tanto me faz desejar lê-lo HOJE! (rs)
    Adoro livros que nos fazem emocionar, mas também entender melhor a vida... Como quem nunca a viu realmente. É como se a cada livro deste gênero tirássemos um pouco da venda que nos cobre os olhos.
    Obrigada por me incentivar a ler este livro.
    Beijos, flor.

    www.myqueenside.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Sou louca pra ler esse livro! Tenho muita curiosidade pra conhecer a história.
    Adorei a resenha!
    Beijos <3
    FB
    http://www.primaveraboreal.com/

    ResponderExcluir
  15. ME DEU VONTADE DE LER ESSE LIVRO...

    FB - www.giovanaporgiovana.com.br

    ResponderExcluir
  16. Esse foi um dos primeiros livros que li, e realmente amei. E assim como você, li esse livro sem conhecer nada sobre sua história.
    Beijos,
    http://coemundo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir