Resenha do Livro Apenas Um Garoto!!!!!!



Esse é um livro que eu gostaria que todos lessem. 



A autor nos alerta para como vemos uns aos outros: com lentes embaçadas por rótulos!!!!!



Livro: Apenas Um Garoto 
Autor: Bill Konigsberg
Editora: Arqueiro

Páginas: 255
Cantinho Indica: 4/5 




Apenas Um Garoto!!!



Adicione no Skoob

Sinopse:


“Engraçado, inesperado, apimentado com diálogos excelentes – e, o melhor de tudo, dolorosamente honesto.” – Ned Vizzini, autor de Casa de segredos e Uma história meio que engraçada. “Para todo mundo que já desejou ser outra pessoa (quem nunca?), “Apenas um garoto” é uma viagem divertida e cheia de reviravoltas sobre sexualidade, identidade, amizade e amor.” – Alex Sanchez, autor de Rainbow Boys. Rafe saiu do armário aos 13 anos e nunca sofreu bullying. Mas está cansado de ser rotulado como o garoto gay, o porta-voz de uma causa. Por isso ele decide entrar numa escola só para meninos em outro estado e manter sua orientação sexual em segredo: não com o objetivo de voltar para o armário e sim para nascer de novo, como uma folha em branco. O plano funciona no início, e ele chega até a fazer parte do grupo dos atletas e do time de futebol. Mas as coisas se complicam quando ele percebe que está se apaixonando por um de seus novos amigos héteros.


Confiram a Resenha!!!!!!! 



 RESENHA: APENAS UM GAROTO



O Cantinho Abre o Coração!!!!


Eu não esperava nada desse livro e fui surpreendida!!!

Eu entrei com algumas opiniões formadas e me vi durante a leitura discutindo com a mãe de Rafe e com o professor de redação dele, risos...

Eu amei a ideia do Sr Scarborough: ele pediu que os alunos escrevessem sobre sua vida em um diário que só ele iria ler. Mas ele fez mais: deixava perguntas para Rafe, o provocava, fazia observações, o desafiava. 

E eu me revoltava com ele. Não concordei com algumas perguntas e questionei sua intenção.

E só no final eu o entendi. Ele não estava dizendo como deveria ser. Como Rafe deveria se sentir. Pelo contrário, ele estava tentando fazer com que Rafe se abrisse, se enfrentasse, se enxergasse. Ele fez com que Rafe lidasse com a situação ao invés de fugir dela.

E assim ele saiu fortalecido, amadurecido e finalmente entendeu quem era.

Mas meu personagem preferido não foi ele, foi Ben. Ele despedaçou meu coração!!! Que menino lindo de coração, sensível!!!! Quando ele desabou, eu sofri junto!!!

Eu vou elogiar o autor: ele foi corajoso em tocar nessa ferida. Acredito que Rafe não incomoda tanto assim os meninos, de certa forma, já estão preparados para lidar com ele. 

Mas Ben, terá o potencial de quebrar tabus!!!! Ele é o mais complexo. 

É o meu primeiro contato com um romance entre meninos. Confesso que não consegui torcer pelo romance deles, mas só pelo fato de não me ver no casal. Não houve representatividade da minha parte, naturalmente não havia uma menina ali, risos...Então, não consegui sonhar e nem suspirar, risos....

Mas posso dizer a vocês que foi um dos textos mais honestos que já li. O sentimento deles me comoveu, foi palpável todo o amor, o dilema, o medo e fiquei emocionada pela forma como ele se desenvolveu. O autor foi delicado sem deixar de ser verdadeiro.

E ele mostra bem a diferença entre o que significa para Rafe e o que significa para Ben. O quanto eles têm em comum e o quanto eles são diferentes. Eles não estão sentindo o mesmo. Eles não estão vivendo o mesmo. O quanto Ben é honesto e maduro sobre quem ele é e o quanto Rafe não é.

Eu li que teremos um segundo livro sobre a perspectiva de Ben, estou torcendo para que seja verdade!!!

A narrativa é muito envolvente, não consegui parar de ler e conclui em poucas horas.

Apenas faço uma observação: Em minha opinião, eu posso estar enganada, tem muitas questões levantadas no livro. Mas tive a impressão que o autor não se posicionou em alguns momentos e na maioria das vezes, não defendeu suas ideias, as deixou em aberto para o leitor ter sua própria opinião. Acho que ele criou um ambiente muito seguro nessa história e se escondeu atrás dessa segurança. Tem um apontamento que o professor fez a Rafe uma vez, que se eu pudesse, diria o mesmo ao autor.

Sobre o final eu não concordei com a escolha do autor em apenas um aspecto. Mas depois entendi que ela foi real. Se fosse de outra forma seria utópico. Preciso apenas avisá-los, depois de ter fechado todas as tramas, ele encerrou com o curso da vida. O personagem estava pronto para seguir em frente. Não considero isso um final aberto, mas alguns podem considerar.


Sair do Armário:

Rafe descobriu de uma maneira natural que era gay. Tranquilamente contou para seus pais. Não houve traumas, eles o amavam. 

Mas a reação deles foi o inicio de tudo. E, em minha opinião, essa é uma das questões mais importantes do livro.

Eles não olharam para Rafe. Não consideraram seus sentimentos. Sequer conversaram com ele.

Vocês vão dizer que estou sendo injusta. Os pais chamaram toda a família e fizeram uma festa para celebrar. Contaram na escola e de repente todos sabiam. Não houve agressões, bullying, nada. A mãe ficou tão orgulhosa, que se tornou presidente de um grupo de apoio a causa. E convidou Rafe a dar palestras com seu testemunho. Lhe dava livros sobre o assunto.

Então, perfeito!!!!! É o ideal. Ele deveria agradecer, pois não é o que acontece com outros meninos!!!

Não!!!

Alguém consegue ouvir a voz de Rafe???

Alguém consegue enxergar que ele está sendo ignorado e ele é o único interessado?

Ele não queria nada disso!!!!

Nossa, eu fiquei muito irritada com a mãe dele. Ele só queria ser o Rafe, filho deles, mais nada. 

O que tinha demais em ser gay? Que estardalhaço era esse? Ela queria exibi-lo, expô-lo a todo custo, o tempo todo. 

Ela não sabia o que acontecia na escola. Ela não entendia.

Ele estava se sentindo perdido e seus pais não viram. Não se importaram em saber.

Por isso ele foi embora!!!!



Natick:

Ninguém sabia que ele era gay na nova escola Ele não estava negando, já estava seguro quando a sua sexualidade. Ele só não queria contar, queria uma chance de ser um menino normal. Pode parecer contraditório, mas não é.

Ele estava certo? Estava errado? Ele estava tentando se achar, essa é a resposta mais honesta.

Mas as escolas são todas iguais. Rafe encontrou os mesmos rótulos em Natick: tínhamos os atletas, os nerds, os gays, os esquisitos. 

O problema ainda era o mesmo: se encaixar, ser aceito. 

E para fazer parte de um grupo eu não gostei do que ele fez. Ele vai se ver dividido entre amigos diferentes, de grupos diferentes e terá que escolher um lado. 

Por que é tão complicado? 

Ele pensou que ser gay, seria apenas a sua opção sexual, não alteraria no restante de sua vida. E não foi o que aconteceu. Não estava tudo bem.

Sair do armário geralmente é a maior barreira. É assustador enfrentar quem você ama. É assustador enfrentar o mundo. Precisa ter coragem, pois a resposta pode ser ficar sozinho. Com Rafe não foi assim, ele teve apoio.

Mas e depois? O que muda sendo gay? 

Foi o que ele descobriu!!!!

Pela primeira vez fez amigos de verdade, o Rafe, não o gay. Pela primeira vez ele conheceu o amor. Ele, o Rafe, não o gay. 

Pela primeira vez o enxergaram.

E através da dor e da perda, pela primeira vez ele também irá se ver. Ele, o Rafe, gay!!!



Ponto Alto do Livro!!!! 

Esse título me incomodou desde o início. O que significa dizer: “apenas um garoto”?

Me pareceu um grito, um anseio, um “me deixem em paz”. Não apenas uma mera declaração ou uma mera resposta. 

E descobri que na verdade era tudo isso e ainda era mais.

Esse livro fala sobre quem é Rafe. Esse é o ponto alto da história: a jornada dele de autoconhecimento.

Ele precisa encontrar sua identidade. 

Ele deu um passo para frente ao admitir que era gay. E depois retrocedeu. Os pais o aceitaram, todos aparentemente o aceitaram. Mas aceitaram o menino gay. Não aceitaram Rafe.

Quando olhamos para ele quem vemos? E o quanto do que vemos realmente diz sobre quem ele verdadeiramente é?

Esse é o problema: Rafe? Ah, é o menino gay. É assim que ele é visto. Como se estivesse marcado. Ninguém realmente o conhece. É como se ele fosse apenas gay e nada além disso. A sua existência foi reduzida à escolha da sua sexualidade. 

É isso o que os rótulos fazem: eles excluem as pessoas quando as isolam em um grupo. 

Por isso Rafe estava se sentindo oprimido, sufocado. Ele não era só gay, ele era um menino. Ele queria fazer coisas de meninos, com meninos. Ele queria ter amigos que não se sentissem desconfortáveis em sua presença. 

Esse é o grito dele: não queria ser tratado de forma diferente. Ele não era especial, era apenas um garoto. Esse é o significado do título. Ele não queria que sua sexualidade fosse um obstáculo.

Por isso se permitiu recomeçar em um lugar onde ninguém o conhecesse. Onde ele pudesse se apresentar apenas como Rafe e viver como Rafe. Ninguém saberia que ele era gay.

Mas não deu certo por muito tempo. Ele estava oprimido, sufocado novamente, porque não estava completo. Ser gay também fazia parte de quem ele era.

Foi quando ele finalmente viu que não era apenas um garoto e que também não era apenas gay. Ele entendeu quem era Rafe.

Em minha opinião, também está forte uma outra interpretação desse título.


Se riscarmos a palavra "gay" e deixarmos apenas a palavra "rótulo", todos nós nos veremos representados.



No fundo, essa é a mensagem do autor.

O que ele está dizendo é que nós somos o João, a Maria, o Eduardo, a Juliana. Apenas um garoto ou apenas uma garota.

E que nossas características físicas, nossas opções sexuais, ou qualquer outro elemento que infelizmente sirva para a criação de um rótulo, são apenas isso, nada mais.

Precisamos de uma mudança de mentalidade: o que ninguém quer admitir e enxergar é que precisamos ser respeitados não porque somos negro ou branco, hétero ou gay, e sim porque somos humanos!!!!!






Aviso aos Leitores: Essa resenha foi escrita em forma de poema. Não há quotes, citações do livro, ou spoiler. Toda as palavras utilizadas são de minha autoria. Eu derramo em meus textos, o meu coração, o que eu senti ao ler o livro. É isso que encontrarão aqui, no Cantinho.











Contato com as Editoras: 




Arqueiro: Site / Facebook / Instagram / Twitter / Youtube / Skoob /

Sextante: Site / Facebook / Instagram Twitter / Youtube Skoob /

26 comentários

  1. Oi, Cila!
    Eu adoro a mensagem que esse livro passa, apesar de ainda não ter lido. Temos de nos livrar da mania de rotular tudo e todos.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  2. Oi Cila

    Não li o livro ainda, mas acho bacana o tema e a mensagem do autor! Ben parece ser um personagem super bacana! Adorei a dica!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  3. Olá,

    Essa é a primeira resenha que leio do livro, eu já tinha interesse pela história por conta da capa, mas diante de sua resenha a vontade de ler só aumentou, você escreveu muito apaixonadamente sobre seu ponto de vista, é contagiante. Eu adorei os pontos destacados e não vejo a hora de fazer essa leitura, espero que muito em breve.

    Beijos,
    entreoculoselivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Gosto de ver esses livros ganhando espaço e os corações dos leitores. Eu não faria a leitura, nem é por não curtir o gênero, mas porque estou correndo de livros com personagens tão jovens. Fico feliz que tenha curtido tanto a leitura, tbn espero que mais pessoas conheçam a obra e amem tanto quanto vc.

    Raissa Nantes

    ResponderExcluir
  5. Adorei, parabéns pelo trabalho, eu já li algumas resenhas sobre esee livro e todos falam que ele é ótimo, eu ainda não tive oportunidade de ler mas espero logo poder.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Oi Cila! Nossa, foi uma resenha tão honesta. Impossível não terminar de ler e querer sentir tudo que você sentiu lendo o livro.
    A leitura dos chick lits, a maioria delas, mostram uma realidade muito diferente de um relacionamento homoafetivo e até mesmo de como é ser gay. É sempre muito colorido, pintado de bom humor, e de aceitação. Li dois livros que retratam muito bem a realidade, mas apenas um traz o relacionamento como ponto alto. Eu não consegui me identificar com o romance também, mas com certeza consegui me colocar no lugar do personagem.
    Adorei sua resenha flor, sempre perfeita, e quero ter a oportunidade de ler o livro.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Oi Cila
    Realmente romances homossexuais devem ser sempre bem desenvolvido para que não fique aquela coisa falsa e/ou superficial.
    Li apenas um livro com essa temática e gostaria de ler bem mais.
    Essa obra por exemplo eu gostaria de conferir
    Beijuh

    ResponderExcluir
  8. Oi Cila,
    Tive ótimas recomendações desse livro, gosto muito das publicações da Arqueiro. Esse está na minha lista, rs.
    Beijos
    https://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Olá! Acho que já ouvi falar nesse livro, mas não lembro haha. Eu adorei sua resenha. Nunca li nenhum livro nesse estilo. Mas me interessei! Beijos!

    ResponderExcluir
  10. OI Cila!! Nossa, linda resenha! Nunca li nada com romances de meninos, tenho curiosidade em ler. Achei legal como o autor criou a história e como a conduziu. Deve ser uma história muito bonita. Beijos!

    ResponderExcluir
  11. Oi Cila
    Estava bem curiosa sobre essa obra e gostei muito da sua resenha!
    Fiquei bem curiosa para saber quais são as perguntas e provocações do professor de Rafe... será que seria uma experiência bacana na vida real??? Fico pensando que sim.. pelo menos eu acharia bem interessante ;)
    Gosto de livros que abordam assuntos polêmicos, pois acho que é bem isso mesmo, apesar das nossas diferenças somos apenas garotas e garotos querendo ser aceitos do jeito que somos!
    Ahhh já estou seguindo seu blog, segue o meu também para podermos continuar a trocar ótimas dicas literárias...
    Bjokas

    http://thehouseofstorie.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Oi Cila! Tudo bem? Terminei este livro ontem e achei muito interessante a questão dos rótulos levantada pelo autor. Uma história inteligente.

    Bom domingo!

    Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  13. Olá!
    Eu estou com esse livro para ler aqui também e agora fiquei muito animada com essa leitura, que parece ser sensacional. Ao contrário de você, o título não me incomoda nenhum pouco, eu até gostei.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  14. Oi Cila, minha querida...
    É muito gostoso quando um livro nos surpreende, não?
    Eu tenho muita vontade de ler esse livro, sabe? Não tenho problema nenhum em ler livros com essa temática e com esse tipo de casal... fiquei curiosa com a sua resenha e espero ler esse livro em breve.

    beijos
    Mayara
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
  15. Cilaaaaaaaaaaa, sua linda, querida da minha vida
    Eu tenho tanta vontade de ler esse livro que você nem imagina, acho que seja uma leitura bem válida e atual por causa da sociedade que ainda estamos a viver, com todo esse preconceito, adoraria mesmo ler e gostei muito da sua resenha.
    Abraços

    ResponderExcluir
  16. Olá! Me interessei muito por esse livro! Eu só li um romance gay e foi Azul é a cor mais quante. Gostei muito do livro e quero a versão em HQ <3
    Esse livro Apenas um garoto já transmite uma mensagem muito forte no título, como você disse: Ele é apenas um garoto, eu sou apenas uma garota e etc... Se nos vermos como seres humanos tudo melhora... o ruim é que uns se acham melhores que os outros por se encaixarem no padrão ideal da sociedade, por isso livros assim são importante para quebrarmos esses preconceitos através da arte.

    Gostei muito da sua resenha e dos pontos que você levantou e absorveu da obra, parabéns!
    Quero esse livro pra ontem e espero que eu aprecie a obra tanto quanto você apreciou.
    Abs ^^

    ResponderExcluir
  17. Que resenha mais linda! Adorei saber tua opinião sobre o livro, Cila! Tenho bastante interesse na leitura e acho que irei adorar! <3 Espero poder ler em breve.
    Beijoos

    ResponderExcluir
  18. Olá,

    É tão bom quando a gente não espera nada de um livro e de repente se surpreende com a leitura. Pela sua empolgação com ele, vou lê-lo com certeza. Espero que não aconteça o contrário, eu ir achando o máximo e me decepcionar, rsss.

    Abraços

    ResponderExcluir
  19. Não conhecia o livro e percebo que ele tem uma mensagem bastante forte. Fiquei curiosa em relação a qual pergunta você gostaria de fazer para o autor do livro, que questionamento ele fez ao personagem que você gostaria de fazer a ele.
    Vou querer ler a história, pois livros com mensagens como essas merecem serem lidos por todos!

    ResponderExcluir
  20. Olá.
    Nossa adorei a sua resenha. Eu tenho escutado tanta coisa sobre este livro, alguns amam, outros, nem tanto, mas todos gostam da temática. Eu também adorei a temática, eu confesso que eu adoro livros livros assim. Ao contrario de vc eu consigo torcer pelo casal, eu adoro shippar e torcer por um final feliz. Eu estou com um pouco de medo de este não ser o caso :(
    Eu quero muito ler esse livro um dia ainda, espero que seja muito em breve, porque sua resenha me deixou super animada.
    Bjssssss

    ResponderExcluir
  21. Oi Cila!

    Achei bem legal o que você disse sobre os rótulos, que eles excluem as pessoas quando as isolam em um grupo. Deve ter sido horrível pro garoto começar ser visto como o menino gay, e não o Rafe. Entendo ele ter querido mudar sua situação, ninguém merece tanto estardalhaço por algo que é simplesmente normal. Não sei se leria, mas estou torcendo pra sair o livro com o ponto de vista do Ben!

    Beijo!

    ResponderExcluir
  22. Oi Cila, tudo bem?
    Eu gostaria de ler este livro. Ele está na lista e com certeza quero conferir esta história que é bem atual. Precisamos nos livrar dos rótulos. Da mania de termos que rotular tudo e todos. Adorei sua resenha. Bjus
    Lia Christo
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  23. Olá,
    Eu já disse que sou apaixonada pela forma como faz suas resenhas?! risos
    Já ouvi falar muito bem desse livro e com sua resenha me apaixonei pela obra.
    Quero muito conferir todo esse sentimento e como o professor ajuda Rafe a descobrir quem ele realmente é.
    Também estou super curiosa para conhecer de perto Ben com toda sua complexidade e descobrir porque ele é capaz de quebrar tabus.

    http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  24. Acho que todos que leem esse livro ficam surpreendidos. Que me surpreender também hahaha Já está com dica anotada (;
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  25. Olá! Ta aí um livro que todos merecem ler e parar pra refletir, gosto de livros que deixam aquela mensagem em nossas vidas, pela sua empolgação e uma resenha impecável, já vou marcar na minha lista infinita de desejados.

    ResponderExcluir